Linux é o sistema mais “verde” do planeta

19/04/2009

em Diversos em tecnologia,Informática e Computadores

linux-mac-windowsÉ verdade que a Microsoft e a Apple têm realizado imensos esforços para a tornar a informática em geral cada vez mais verde. Principalmente a Apple, tem sido uma das empresas na vanguarda desses esforços, e naturalmente, todo o mundo o reconhece.

Segundo o colunista Jack Wallen, da ZDNet e com base num artigo publicado por Preston Gralla, da GreenerComputing, o Linux é o sistema operativo mais “verde” do planeta, e é de facto uma excelente ferramenta tornar os departamentos e empresas TI ainda mais verdes.

Wallen argumenta que o Linux requer menos energia e menos poder de processamento que o Windows ou que Mac OS X, dando a possibilidade de utilização do mesmo hardware por muito mais tempo no Linux. Ao mesmo tempo significa menos problemas de reciclagem e menor produção de equipamento em geral.

Com base num estudo do Instituto Britânico de Comércio (UK Office of Government Commerce) realizado em 2004, afirmam que “o período de refresh para os sistemas Windows é de três a quatro anos, quanto a sua actualização de hardware para sistemas Linux é compreendida num período entre seis a oito anos.”

O colunista alega também que o Red Hat Linux utiliza menos energia do que o Windows Server 2008, e cita um estudo onde diz que o Red Hat Linux bateu servidores Windows Server 2008 em 13 dos 16 testes de consumo de energia.

Outras razões que indica não são propriamente uma comparação entre o Linux e outros sistemas operativos, mas apenas alguns conselhos de como tornar o Linux mais ecológico.

Tal como Preston Gralla, existem alguns pontos intrigantes, dos quais alguns eu discordo. Era interessante ver uma comparação detalhada do consumo de energia do Windows, Mac OS X e Linux. Quando for possível vou pessoalmente tentar realizar um comparativo, até porque o meu MSI Wind corre os três sistemas em Triple Boot. 😉

Artigo anterior:

Próximo artigo: