A história dos processadores x86

14/04/2009

em Diversos em tecnologia,Hardware e Software

intel-i386dxSabia que a linha Intel Core I7, o CPU topo de gama da Intel contém o ADN que remonta ao longo de três décadas? Pois bem, o mesmo também se aplica aos novos processadores de silício desenvolvidos pela AMD, o Phenom X4 II.

Evidentemente que me refiro à longa história de micro-processadores de arquitectura x86 que tem dominado o mundo, desde o desktop até aos mais pequenos portáteis. Muitos deles foram provavelmente desenvolvidos antes de alguns de nós termos nascido, e continuaram a ser um pilar da informática e micro-processadores por muitos e muitos mais anos a vir.

Inventada pela Intel© em 1978, a arquitectura x86 tem evoluído através dos tempos, não só ficando cada vez mais rápida, como cada vez mais flexível. Tem sido introduzidas mais e mais extensões e instruções, num pedaço de silício que fica cada vez mais pequeno, cumprindo a Lei de Moore (Gordon E. Moore – Presidente da Intel), que diz que o poder de processamento dos chips teria um aumento de 100% em cada período de 18 meses.

Inicialmente a lei de Moore não passava de uma profecia, mas acabou por se tornar um objectivo para a indústria de semicondutores. Fez das mesmas despenderem muitos recursos para poder alcançar as previsões de Moore, ao nível de desempenho. É isso que torna a lei de Moore muito importante, pois sem ela, talvez não tivéssemos um desenvolvimento tão rápido a nível de hardware, e com custos cada vez mais reduzidos.

Para os fanáticos da tecnologia e computadores, e que provavelmente acompanham a evolução da informática, a MaximumPC reuniu um interessantíssimo artigo sobre os microprocessadores x86 mais populares da história, muitos deles provavelmente você nunca ouviu falar. Caso tenha perdido alguns destes CPUs, recomendo vivamente a reviver a história dos processadores x86.

Artigo anterior:

Próximo artigo: